Pretuguês Para Crianças - Fortalecendo Conexões Ancestrais por meio da Aprendizagem da Língua Portuguesa

Aprender e usar uma língua abrange muito mais do que apenas capacidades linguísticas. Ela remodela nossas identidades, auxilia no desenvolvimento de habilidades socioemocionais, valores culturais e nosso senso de comunidade.

Portanto, o próprio ensino da língua portuguesa e a oportunidade de apoio emocional na língua é um fator fundamental na preservação de diversos legados culturais dentro das comunidades de imigrantes negres brasileires. Isso é significativamente importante agora em um mundo afetando uma pandemia que se intensifica como desigualdades e elevou os níveis de isolamento.

>> POR QUE PRETUGUÊS?

De acordo com a estudiosa e ativista Afro-Brasileira Lélia Gonzalez, as mulheres negras brasileiras, especialmente a “Mãe Preta” em sua qualidade de cuidadora familiar, desempenharam um papel significativo na reformulação da língua portuguesa e na preservação dos valores culturais Africanos no Brasil.

Elas africanizaram a língua portuguesa e a ensinaram transformando-a em "pretuguês”. Isso significa que a linguagem de dominação foi subvertida e ressignificada para marcar a presença e resistência do povo negro no Brasil.

Considerando os aspectos específicos do uso afro-brasileiro da língua portuguesa, este programa é projetado para ensinar pretuguês para crianças imigrantes e ajudar familiares, cuidadores e crianças imigrantes a se conectarem e abraçarem sua identidade como herdeiros da diáspora africana no Brasil/América do Sul.

Esta é uma iniciativa para imigrantes negres brasileires nos EUA e tem vagas limitadas.

Informações & Inscrição

FACILITADORAS

Helen Santos é uma educadora que está imersa no mundo da Linguagem como Herança desde 2011 e certificada na área desde 2014. É bacharel em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais, onde também se especializou em Aquisição de Segunda Língua. É representante regional da American Organization of Teachers of Portuguese (AOTP) desde maio de 2020.

Leonora Souza Paula é professora de Estudos Literários na Michigan State University. Ela tem um Ph.D. em Literatura Comparada pela University of California San Diego, um M.A. e um B.A. em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais. Leonora é certificada em Língua e Aquisição Cultural para Aprendizes do Património da Língua Portuguesa. É coordenadora da Kilomba Collective.

Luana Reis é doutoranda em Literatura pela Universidade de Pittsburgh. Mestre em Língua e Cultura pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atuou como Assistente de Ensino de Português (Programa Fulbright FLTA) e Professora (Programa Leitorado) na Universidade de Pittsburgh. Recebeu o prêmio de excelência no ensino de português nos Estados Unidos da American Organization of Teachers of Portuguese (AOTP) em 2017. É coordenadora da Kilomba Collective.

Kilomba Collective é um coletivo dedicado a centralizar a perspectiva e a realidade do povo negro brasileiro, especialmente mulheres e meninas negras em suas múltiplas identidades, no cenário internacional, conectando-se com outros movimentos de mulheres negras na Diáspora Africana. Fazemos isso desenvolvendo ações de advocacy, construção de comunidades e solidariedade internacional em questões relacionadas à justiça social, igualdade de gênero e direitos humanos.

Follow us

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram